Sexta-feira 08 Dezembro 2017

Epica


Concerto: Epica + Vuur + Myrath

A noite de sábado dia 21 de Novembro prometia para os lados da recém-renomeada Altice Arena. A Sala Tejo, pertencente ao famoso local de espetáculos, localizado no Parque das Nações, recebia nada mais nada menos dos que os Epica, banda que dispensa apresentações ao público português devido às suas constantes passagens pelo nosso país. Quem também não precisa de introduções é Anneke Van Giersbergen, famosa por ter cantado nos The Gathering, e pelas inúmeras colaborações com outros músicos de renome como Devin Townsend e Arjen Lucassen. No entanto, Anneke veio a Lisboa apresentar os seus Vuur, novo projeto de metal progressivo que veio apresentar o seu álbum de estreia, lançado em outubro. Para enriquecer ainda mais o cartaz contámos com a presença dos tunisinos Myrath, que trouxeram o seu prog metal com influências orientais, a esta tour europeia, encabeçada pelos Epica.

Foram os Myrath que iniciaram a música na Sala Tejo e começaram da melhor forma com «Believer», um dos temas em destaque de “Legacy”, o seu último álbum. A banda continuou a tocar temas do seu mais recente trabalho e o seu vocalista afirmou em bom português que estavam muito felizes por estar em Lisboa e também perguntou ao público se queriam mais. A resposta foi afirmativa a banda foi progressivamente sendo mais aplaudida. Terminaram esta curta, mas bem conseguida atuação, com dois dos seus melhores temas «Merciless Times» e «Beyond the Stars» deixando seguramente desta forma uma boa impressão aos presentes, mesmo a quem ainda não os conhecia. De referir a presença da bailarina portuguesa Kahina Spirit, tem acompanhado os Myrath, ao vivo, e atuou com a banda durante toda a tour europeia de suporte aos Epica.

A atuação dos Vuur até arrancou muito bem com «Sail Away – Santiago» mas foram os temas mais cativantes e que melhor soaram foram «The Storm» dos The Gentle Storm e «Strange Machines» dos The Gathering. Não é que os temas presentes no álbum de Vuur e que foram tocados neste espetáculo sejam maus, até são interessantes e promissores mas quer o projeto que Anneke Van Giersbergen tem com Arjen Lucassen quer a banda que fez a cantora ser conhecida, os The Gathering, são de outro nível! Mesmo assim «Your Glorious Light Will Shine – Helsinki» destacou-se entre os temas do novo álbum com o seu refrão melancólico e bom riff de guitarra no verso. Além do mais os temas soaram poderosos ao vivo e a banda que acompanha Anneke esteve em bom nível e mostrou uma inequívoca qualidade técnica. De referir que alguns dos músicos que compõem os Vuur não são propriamente novatos. Por exemplo, o baterista Ed Warby pertence aos ilustres Ayreon, e tocou desde sempre nos infelizmente extintos, Hail of Bullets.

De volta estavam os Epica, após uns escassos três meses de ausência. Em Agosto a banda holandesa marcou presença em Corroios, no VOA Fest, mas o público português não se cansa de a ver e compareceu, novamente, em grande número, ao concerto. A maioria dos temas tocados nesta data em Lisboa divergiu dos que foram apresentados pelo grupo no renomado festival de música pesada português, por isso os fãs não devem ter saído defraudados da Sala Tejo, do Altice Arena. O público mostrou-se incansável ao gritar por várias vezes pelo nome da banda, mostrando sua devoção obssessiva (não, não tocaram a «The Obsessive Devotion») pelo sexteto onde pontifica Simone Simons. Claro que a cantora é uma face essencial da banda mas os Epica mostram, cada vez mais, ser uma unidade coesa e cheia de presença em palco. O concerto terminou com a inevitável «Santa Tierra», a “saltável” «Beyond the Matrix» e a clássica «Consign to Oblivion». Um trio de luxo num encore que não é um adeus e sim um até já aos fãs portugueses. Até breve.

Fotos disponíveis em:

Igor Ferreira